"O lar cristão é o lugar onde os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. É por isso que a casa de família se chama, com razão, «Igreja doméstica», comunidade de graça e de oração, escola de virtudes humanas e de caridade cristã."(Catecismo da Igreja Católica, 1666)

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Comidinhas para Santa Madalena de Canossa

Hoje não é Solenidade, nem festa nem memória no calendário romano. Sem embargo, mesmo os dias que não possuem festividade litúrgica possuem os seus santos. Dezenas deles, por vezes!

Uma das santas de hoje é Madalena de Canossa.


Vejam um pequeno relato sobre ela no portal sobre os santos da Canção Nova:

A santa de hoje é fundadora das 'Filhas da Caridade', congregação que iniciou em Veneza, Itália.

Nasceu em Verona, no ano de 1774 e faleceu com 61 anos. Mas viveu o céu já aqui, acolhendo a salvação e sendo canal dela para muitos.

Perdeu cedo seus pais. Teve seu chamado à vocação religiosa, numa consagração total, mas não foi aceita na primeira tentativa, porém, não parou no primeiro obstáculo.

Uma mulher mística. Pela sua vida de oração e seu amor a Jesus Crucificado, galgou degraus para uma mística profunda, sendo muito sensível à dor dos irmãos.

Viveu num tempo difícil, de guerras, precisando refugiar-se em Veneza. Ali, ela discerniu o carisma como fundadora, e na prática - por causa dos órfãos, enfermos e vítimas da guerra - sua caridade era ardente e reconhecida por muitos. Napoleão Bonaparte conhecia seu testemunho e a chamava de 'anjo da caridade'.

Entrou na glória de Deus, porque deixou a glória de Deus a transformar aqui.

Santa Madalena de Canossa, rogai por nós!
Como uma santa da CARIDADE ARDENTE, nada melhor do que fazer alguma receita com coração (no caso, de frango, mas poderia ser de ovelha ou de vaca).

Exagerado como sou, fiz duas receitas: coraçãozinho frito com adobo, e risoto de coração.

O coração frito é simples: se frita, ora! Temperando com salsinha, adobo e sal. E pouco óleo.

Já o risoto é como qualquer risoto de carne, só que com coração. Primeiro grelhei uns corações e os refoguei com cebola. Depois acrescentei bastante água para os cozinhar. Desse caldo fui tirando a água para o arroz, ou seja, já ia ficando com gosto o arroz. Usei arroz de risoto, o arbóreo, e fui mexendo e colocando água aos poucos. Não se coloca tudo de uma vez como em arroz comum. É aos pouquinhos. Acrescentei sal. Quando estava quase pronto, juntei o resto do caldo e do coração, corrigi o sal, botei quantidades generosas de manteiga e de nata, mexi, acrescentei salsinha e cebolinha e pronto!








Nenhum comentário: