"O lar cristão é o lugar onde os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. É por isso que a casa de família se chama, com razão, «Igreja doméstica», comunidade de graça e de oração, escola de virtudes humanas e de caridade cristã."(Catecismo da Igreja Católica, 1666)

terça-feira, 30 de abril de 2013

Zeppole, o doce de São José

Amanhã, dia 1º de maio, comemoramos São José, Operário. É uma segunda festa para o esposo da Virgem Maria, que tem sua solenidade principal lembrada no dia 19 de março. 

A data tem sua origem nos festejos, de origem socialista, do dia do trabalhador, tradicionalmente marcado por conflitos e por pregação dessa doutrina condenada pela Igreja. Adotada como feriado em várias partes do mundo, inclusive no Brasil, a Igreja, em sua sabedoria, tratou de "batizá-la", de "cristianizá-la", para mudar o foco desse dia, colocando em evidência o patrono dos trabalhadores, o carpinteiro de Nazaré, pai nutrício de Jesus. Um carpinteiro que tinha linhagem real, da Casa de Davi!

Foi Pio XII quem institiui a festa do santo, desta vez invocado como operário: "Queremos reafirmar, em forma solene, a dignidade do trabalho a fim de que inspire na vida social as leis da equitativa repartição de direitos e deveres."
























São José e o Menino Jesus em sua oficina de carpintaria


Aproveitemos o feriado civil para honrarmos São José com o zeppole.

A receita tirei do "De colher pra colher", uma dica de um leitor da fanpage no Facebook.

Segundo esse site:

Segundo a tradição, o doce tem origens muito antigas, no Império Romano, no início da era cristã. Quando José, Maria e o pequeno Jesus foram obrigados a fugir para o Egito, por causa da perseguição de Herodes. Conta-se que São José, para prover o sustento da família, vendia rosquinhas fritas naquela terra que os acolheu. Dali em diante, a tradição se perpetuou, e essas deliciosas roscas passaram a ser o doce típico da festa em comemoração ao Santo Carpinteiro.



















Ingredientes:
Massa:
2 ½ xícaras de farinha de trigo
2 ½ xícaras de água
1 ovo
1 xícara de café vinho branco seco
1 pitada de sal

Óleo para fritar
Açúcar de confeiteiro misturado a um poquinho de canela em pó, para polvilhar
Creme pâtissier a gosto para finalizar

Modo de preparo:
- Ferva a água com o vinho e o sal.
- Tire do fogo, junte a farinha e volte ao fogo, agora baixo, mexendo até a massa desgrudar da panela.
- Deixe esfriar, misture o ovo vigorosamente até formar uma massa lisa.
- Coloque a massa em um saco de confeitar com bico largo, e então faça pequenas rosquinhas.
- Frite em óleo bem quente.
- Polvilhe a mistura de canela e açúcar, logo após fritar.

Esta rosquinha já é uma delicia só assim, mas se não achar suficiente, cubra com creme pâtissier (o mesmo que creme de confeiteiro, crema pasticcera,...), ou abra as rosquilhas ao meio e coloque o creme. Veja a receita abaixo.

Ingredientes para o creme pâtissier:
200 ml de leite (primeira parte)
1 colher de sopa de amido de milho
1 colher  de sopa de farinha de trigo
1 ovo
5 gemas passadas pela peneira (para retirar a película que deixa o cheiro de ovo)
300 ml de leite (segunda parte)
110 g de açúcar
1 colher de chá de gotas de baunilha (ou 1/2 fava de baunilha aberta ao meio)
60 g de manteiga, ou margarina

Modo de preparo:
- Dissolva o leite (primeira parte), o amido de milho e a farinha de trigo. Acrescente o ovo e as gemas. Reserve.
- Misture os 300 ml de leite (segunda parte) com o açúcar e a fava de baunilha. Leve para ferver e reserve.
- Adicione as duas misturas reservadas.
- Leve a panela em fogo moderado, e mexa sem parar até engrossar e começar a borbulhar.
- Retire do fogo e acrescente a manteiga.
- Leve a batedeira em velocidade baixa somente para esfriar.
- Passe o creme por uma peneira fina (para deixar o creme beeeemmm lisinho) , coloquem um saco de confeitar e decore os zeppoles como quiser

Um vídeo recomendado pelo mesmo leitor ilustra bem a receita:

Nenhum comentário: