"O lar cristão é o lugar onde os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. É por isso que a casa de família se chama, com razão, «Igreja doméstica», comunidade de graça e de oração, escola de virtudes humanas e de caridade cristã."(Catecismo da Igreja Católica, 1666)

terça-feira, 18 de junho de 2013

Ensinando seus filhos a terem vida de oração: do nascimento aos 7 anos

Ter vida de oração é diferente de simplesmente rezar. Entretanto, aquela não começa sem esta. E para crianças, não há de se oferecer temas profundos para sua meditação. 

O primeiro passo é ensinar a importância de rezar, de falar com Deus, com a Virgem, com os santos, com o anjo da guarda, pedir suas luzes, entregar suas preocupações e agradecer pelos dons concedidos. Para isso, é importante a oração vocal, a repetição de fórmulas e o ensinar de usar suas próprias palavras para formular o colóquio com Deus. 























Ainda que não saibam exatamente o que é a oração, em seu sentido clássico, importa que os filhos rezem, que sejam disciplinados a rezar como quem faz outras coisas: crianças comem, dormem e brincam sem precisar, em certa idade, saber os porquês. Apenas o fazem e isso se torna natural. A oração infantil também tem que ser natural, também precisa fazer da rotina. Os filhos precisam ver que, assim como comem, dormem e brincam, também rezam.

Da mesma forma, desde o nascimento, devem as crianças ir à Missa, acompanhadas dos pais.

Conforme a idade vai avançando, fazer as crianças participarem mais e melhor da Missa, entendendo o que se passa no altar, e também visitar com elas o Santíssimo Sacramento fora dos momentos de culto, é parte da formação espiritual que se deve dar aos filhos que Deus nos confiou.























Baseado em um artigo do Catholic Mom, a Aline e eu desenvolvemos alguns passos para ensinar os filhos a rezar, conforme cada faixa etária. Evidentemente, não se trata de receita de bolo, e cada família, respeitando sua dinâmica e as circunstâncias sociais, ambientais e culturais, deverá fazer as adaptações necessárias. Também gostaríamos de ler suas opiniões nos comentários, para nos ajudar a aperfeiçoar esse método, e para trocarmos experiências.

Antes de completar um ano:
* Ir à Missa com as crianças.
* Fazer com que se acostumem com os pais recitando as orações antes e depois das refeições.

Um ano:
* Ensiná-las a fazer o sinal-da-cruz quando a família for rezar.

Um ano e meio:
* Estar com as crianças quando o casal for rezar o terço, e dar-lhes um rosário para segurar.

Dois anos:
* Fazer a criança repetir suas palavras, em oração espontânea, antes de dormir.
* Glória.
* Ensinar que o terço é uma homenagem à Mamãe do Céu.
* Ler histórias de alguma Bíblia infantil.

Três anos:
* Fazer a criança repetir suas palavras, na oração do Santo Anjo, antes de dormir.
* Deixar a criança balbuciar a Ave Maria durante o terço em família.
* Contar episódios da vida do santo padroeiro da criança, fazendo a criança pedir a ele que a ajude a fazer a vontade do Papai do Céu.
* Deixar a criança entender o significado de seu aniversário de Batismo, fazendo com que ela reze especialmente nesse dia.
* Aproveitar os tempos litúrgicos, para que a criança faça atividades especiais acompanhadas de oração própria para eles.

Três anos e meio:
* Fazer a criança repetir suas palavras, na oração da Ave-Maria, antes de dormir.
* Fazer a criança dar "bom dia" a Jesus, ao acordar.

Quatro anos:
* Ave Maria de cor.
* Santo Anjo de cor.
* Fazer a criança repetir suas palavras, na oração do Pai Nosso, antes de dormir. Pode ajudar esse recurso.
* Fazer a criança repetir suas palavras, em um oferecimento de obras simples, ao acordar.
* Ensinar a criança a fazer um pequeno exame de consciência, antes de dormir.
* Contar histórias de santos e fazer oração a Deus pedindo que consiga imitar seu exemplo, e ao santo pedindo sua intercessão.

Cinco anos:
* Rezar o terço integralmente, com as crianças, sendo que elas recitarão, com os pais, de cor, as orações.
* Aprofundar no exame de consciência, antes de dormir.
* Participar com os pais, se é costume da família, de alguma hora canônica do Ofício Divino.
* Pequenos sacrifícios por uma intenção particular acompanhados de oração.

Seis anos:
* Angelus, de cor.
* Oferecimento de obras, de cor.
* Balanço do dia, Credo Apostólico, Pai Nosso, e Ave Maria, de cor, antes de dormir.
* Meditação semanal, com tema curto e concreto dado pelos pais ou por um diretor espiritual do casal.
* Glória, em latim, de cor.
* Ave Maria, em latim, de cor.

Sete anos:
* Leitura do Evangelho, aos Domingos, tirando dúvidas com os pais, e fazendo uma curta oração após a leitura.
* Pai Nosso, em latim, de cor.
* Participar com os pais, se é costume da família, da Via Sacra às sextas-feiras.
* Abstinência de carne nos dias prescritos, explicando à criança o sentido.
* Ler histórias do AT e do NT.









13 comentários:

Dani Medina disse...

Parabéns pelo belíssimo testemunho de família católica, senhor Rafael Brodbeck e dona Aline Brodbeck!

Alex Camillo disse...

Parabéns pelo belíssimo testemunho que esta família linda de Deus está dando! Este post é uma aula de como uma família católica deve educar os seus filhos!

Leidiane Sala disse...

Parabéns pelos exemplos! Acompanho este blog com muito entusiasmo, pois vejo que compartilhando estas experiências muitas famílias católicas deixarão de "viver a sua fé" somente aos domingos. Obrigada pelo testemunho de sua família!

Leidiane Sala disse...

Parabéns pelo testemunho de família!
Acompanho este blog com muito entusiasmo, pois estes exemplos poderão orientar as famílias católicas a viver a fé com simplicidade e ao mesmo tempo cultivada através das pequenas obras.
Salve Maria Santíssima!

Pacheco disse...

Excelentes dicas, Aline e Rafael.

Sem dúvida alguma, estes pequenos atos contribuirão sobremaneira na formação espiritual e humana de nossas crianças.

Já aplicava alguns deles em casa. Vou tentar inserir alguns outros depois deste post. ;-)

Abraços.

Leidiane Sala disse...

Aproveitando,criei um blog sobre feminilidade, família, comportamento...
Floresdelupita.blogspot.com

Anne disse...

Muito bom!
Desde que meu filho nasceu, eu rezo com ele a oração do anjo da guarda antes de dormir e faço alguns pedidos. Hoje com dois aninhos ele ainda não fala direito, mas repete as palavras da oração.
Todos os domingos eu e meu marido rezamos as laudes com ele, (desde que estava na barriga) e vamos ensinando ele a como se comportar para rezar. Além disso o papai sempre dá uma pequena catequese da leitura (com uma ajudinha da mamãe). Rezamos sempre antes de comer, e ele faz o sinal da cruz. Também, sempre que ele vê uma cruz (seja de que for, pode ser até duas tiras de esparadrapo que eventualmente formaram uma cruz) ele diz: "Ó Jesus mãe" "Bejo" E beija a cruz. Toda estátua que ele vê na rua, sendo mulher ele grita "Ó Maria!" Sendo homem ele diz "Ó Jesus" ou então "José, mãe! Olha José". Vou dizer que o mais difícil é levar na missa, e aproveito aqui para pedir a vocês dicas de como ajudar os pequenos a se comportarem lá. Miguel já entende que é a missa, que estamos indo rezar, mas ele só fica concentrado uns dez minutos depois que a gente chegou na Igreja.

Anne disse...

Ah, ano passado eu também fiz a Árvore de Jessé no Natal! Eu dei uma adaptada pra realidade da minha casa, mas foi ótimo! Depois, se quiserem, eu mando algumas fotos da árvore e dos personagens que eu fiz em feltro.

Rafael Vitola Brodbeck disse...

Olá, Anne. Obrigado pela partilha. Vamos fazer um post especial sobre as crianças na Missa. Aguarde e siga nos acompanhando e comentando os posts. Já deste uma olhada nos antigos?

Gostaria, sim, das fotos com a Árvore de Jessé e explicações da tua adaptação e, se possível, com autorização para publicarmos. Mande para rafael@salvemaliturgia.com, por obséquio.

Um abraço, e fica com Deus, tu e tua família,

Luiz Henrique Corrêa Mortágua disse...

Parabéns pelo post! Bastante útil!

Aqui em casa seguimos um "roteiro" parecido com o seu com nossos três (Vinícius 4 anos, Miguel 2 e a Letícia 1).

Em meio a tudo, catequese para ir formando essas jovens almas que Deus nos confiou.

Até um ano, mostramos o crucifixo e a imagem de Nossa Senhora. Assim que aprendem a mandar beijos, isso se torna a "oração" deles diante das referidas imagens.

Todos os dias a Karina, minha esposa, vai rezando com eles no carro no trajeto para a escola.

O Miguel (2 anos) já faz o sinal da cruz (as vezes se atrapalha com a mão, até por ser canhoto...rsrs) e a Ave-Maria, está aprendendo o Pai-Nosso e a fazer orações espontâneas de agradecimento antes de dormir. Ensinamos a se ajoelhar na consagração durante a Missa e reconhecer Jesus Sacramentado.

O Vinícius (4 anos) já sabe as orações, embora se atrapalhe as vezes se recitar sozinho; sempre prefere que rezemos junto com ele. Faz as orações espontâneas de agradecimento (pela família, amigos, etc..) Está começando a aprender a Oração de São Miguel em latim. A dificuldade agora está em fazê-lo ter mais atenção na Santa Missa.

Aliás, anos atrás fomos (eu e a Karina) muito influenciados pela pregação do pe. Roberto Lettieri, que nos deixou marcados de forma especial pelo amor à Santa Missa e ao Santíssimo Sacramento. Então damos um enfoque a isso, sempre falando da Eucaristia, levando-os até perto do presbitério para verem o sacrário e reforçando que Jesus está lá dentro de verdade.

Foi muito gratificante quando, na Festa de Corpus Christi, dei a eles alguns desenhos sobre o tema para pintar. Tanto o Vinícius quanto o Miguel souberam apontar rapidamente onde estava Jesus nos desenhos, tanto no ostensório quanto no sacrário que tinha em uma das figuras. Ao Miguel pedi que pintasse um ostensório somente onde estava Jesus, ele pintou - do jeito dele...rs - bem no local certinho! =)

Precisamos melhorar na questão de rezarmos todos juntos e na questão de contar histórias, algo que comecei tempos atrás mas ainda não fixei na rotina.

Deixo para partilhar nossas experiência sobre a Santa Missa no post que você vai fazer, Rafael. Não é simples "administrar" a criançada durante a celebração, especialmente naquelas em que os padres ficam inventando coisas para "agradar" o povo e a Missa fica interminável... Tem um post do Salvem que me ajudou muito a meditar sobre uma "espiritualidade" no cuidado das crianças na Missa (http://www.salvemaliturgia.com/2012/07/criancas-na-santa-missa.html).

Abraços,

Juliana F. Ribeiro Lima disse...

Muito lindo. Assim deve ser: ensinar desde pequenos o caminho da oração. :)

Petterson Dantas disse...

Nobre Rafael Vitola!
Ensinar nossos filhos a Rezar é sempre um caminho de disciplina e encorajamento, pois neles sempre bate aquela preguiça.

Minha esposa começou a usar o método de oração pelos outros... pedindo que minha filha "adotasse" alguém, toda noite, que pudéssemos rezar por ela.

Assim como você mencionou, de forma espontânea.
Cada dia ela escolhia uma diferente pra rezar!!!!!!

Amanda Serra disse...

Muito obrigada pela contribuição! Com certeza vosso exemplo ajudará muitos casais e a mim quando tiver os filhos. A paz de Cristo