Chorizos de Santiago

Ontem, 25 de julho, foi a festa de São Tiago Maior, Apóstolo. Nós gaúchos, "espanholizados" que somos, o tratamos como Santiago. Como os espanhóis, é até comum o nome "Santiago" entre nós, como se chamar alguém meramente de "Tiago" fosse desrespeito, tamanha a veneração que se nutre pelo santo.

São Tiago foi um dos Apóstolos. Na verdade, dois Apóstolos tinham esse nome, e por isso são conhecidos como São Tiago, o Maior, e São Tiago, o Menor. É do primeiro que estamos falando.

O nome "Tiago" se origina de "Jacó", do qual vem James, Jaime, Yago etc. Todos são nomes que têm por onomástico um dos "santos Tiago".

Em Espanha, sua veneração é imensa. De fato, o Apóstolo chegou até a província romana de Hispânia para evangelizá-la, e retornou a Jerusalém, onde foi martirizado no ano 44. Em Saragoça, Espanha, teve uma visão da Virgem Maria, que ainda vivia, que apareceu sobre um pilar. Desde então, a Mãe de Deus é invocada pelos espanhóis como Nossa Senhora do Pilar. São Tiago passou também pela Galícia e pelo que seria depois Portugal, como a cidades de Braga, Rates e Guimarães.

Após seu martírio, seu corpo foi levado a Compostela, na Espanha, onde repousa em sua tumba. Mais tarde, se ergueu ali o famoso Santuário de Santiago de Compostela, lugar de grande peregrinação católica.

Em várias batalhas da Reconquista, Santiago apareceu aos cristãos com espada na mão ajudando-os milagrosamente a recuperar o território perdido aos mouros. Seu nome é invocado especialmente como "Santiago Matamoros". É, por isso, o padroeiro do Exército Espanhol.

 
 
Pois bem, para honrar tão grande santo, que se identifica com a tradição espanhola que temos neste garrão do Brasil, fizemos uma comida bem hispânica na noite de ontem: chorizos grillados con azafrán y morrones rojos y amarillos, ou então linguiça grelhada com açafrão e pimentões vermelhos e amarelos. Pimentão é muito usado na Espanha, e as cores lembram as de sua bandeira nacional.

Receita muito simples: fritar-se cebola picada, juntam-se os pimentões cortados, e depois a linguiça cortada também. Por últimos, um pouco de acafrão e pimenta a gosto, sem necessidade de sal. Serve-se com arroz branco.






Rafael Vitola Brodbeck

Católico, casado e pai de quatro filhos. Delegado de Polícia em Piratini, Rio Grande do Sul, conferencista e escritor de vários livros jurídicos e teológicos. Gradou-se em Direito pela Universidade Católica de Pelotas em 2001, tendo concluído o curso superior de formação na Academia de Polícia Civil do RS em 2008. Diretor do Salvem a Liturgia. Membro do Movimento Regnum Christi, e articulista em vários veículos de imprensa no Brasil. Siga seu Instagram. Fale com ele por email.

Nenhum comentário:

[Domestica Ecclesia] © - Copyright 2013-2017

Todos os Direitos Reservados.
Citando-se a fonte, pode ser o conteúdo reproduzido.