Curtas da semana, sobre politicamente correto e transformação de nossos filhos em imbecis

Soltei esses dois comentários em meu perfil do Facebook. Eles revelam a mentalidade revolucionária por trás de táticas que querem, no fundo, transformar nossos filhos em idiotas e tirar nossos poderes de pais.

---

A vida inteira as crianças, sobretudo os meninos, brincaram de arminhas de brinquedo e não viraram bandidos por isso. Os que viraram, o fizeram por outros motivos. A esmagadora maioria das pessoas é honesta, é de bem, e brincou de arminha tanto quanto um vagabundo o fez quando criança. Mas, de repente, em uma "genial" idéia, os parlamentares do DF resolveram proibir os revólveres infantis, as pistolas d'água, as espadas de plástico. Tudo em nome da não-violência!

Isso é de uma canalhice e de uma imbecilidade inomináveis! Se o piá não puder comprar o revolvinho de ferro, vai fazer em casa o seu próprio: de madeira, adaptando outro brinquedo, de papel, o que for.

E vai continuar brincando disso, nem que seja apontando o dedo como se pistola fosse. E a vida seguirá. Se isso estimula a violência desordenada, o Estado vai fazer o que? Multará o pai que permite que seu filho adapte um objeto para brincar de polícia e ladrão? Cortará os dedos de nossas crianças que ousam transformá-los em mini-pistolinhas?

O Estado não quer mais criar leis que reflitam a ordem social, que ajude o honesto a ter segurança e puna o malfeitor. Vai além: quer o "novo mundo possível", quer, com a criação de leis, transformar a sociedade, reeducar-nos para que sejamos moldados à imagem e semelhança da ideologia do partido governista.

Parlamentares que se preocupam com os brinquedos de nossos filhos - tarefa própria dos pais, não de burocratas engravatados que não possuem autorização moral alguma para cagar ordem em nossas casas -, que condenam as arminhas de brinquedo como se fossem instrumentos do próprio Satanás na terra, que desprezam séculos ou milênios de história com crianças brincando com arminhas sem mal algum à sua formação moral e emocional, que fingem achar que o problema da criminalidade está em um rifle a pilha ou em uma espingarda de rolha, merecem ser achincalhados, desprezados, humilhados, debochados e ter seus nomes colocados na boca de um sapo e enterrado em uma encruzilhada ao som de tambor.

Cambada de fascistas, antidemocráticos, totalitários, safados e sem-vergonhas!

---

Cartoon Network, ao retirar o Tom & Jerry da grade de programação, contribui para um mundo mais imbecil, mimado, politicamente correto, e fechado em uma bolha para "nos proteger". Que mundo idiota, cruzes!

http://vejasp.abril.com.br/blogs/pop/2013/09/24/tom-e-jerry-sai-da-programacao-do-cartoon-network-por-ser-politicamente-incorreto-veja-a-repercussao-na-web/

Rafael Vitola Brodbeck

Católico, casado e pai de quatro filhos. Delegado de Polícia em Piratini, Rio Grande do Sul, conferencista e escritor de vários livros jurídicos e teológicos. Gradou-se em Direito pela Universidade Católica de Pelotas em 2001, tendo concluído o curso superior de formação na Academia de Polícia Civil do RS em 2008. Diretor do Salvem a Liturgia. Membro do Movimento Regnum Christi, e articulista em vários veículos de imprensa no Brasil. Siga seu Instagram. Fale com ele por email.

Um comentário:

jose valdemar da silva Valdemar disse...

concordo cem por cento, sao despreziveis. mas, tambem . culpa do povo que votam nesses parias. partido de corrutos, pregavam uma coisa e fazem outra.

[Domestica Ecclesia] © - Copyright 2013-2017

Todos os Direitos Reservados.
Citando-se a fonte, pode ser o conteúdo reproduzido.