Panquecas farroupilhas

Estamos na Semana Farroupilha. Já escrevemos bastante sobre sua importância para os riograndenses. Basta procurar no blog.

Natural que usemos, ainda mais, nossas indumentárias tradicionais, como a Aline, na foto abaixo, de bombacha jeans, em um visual "rural urbano":

 
Até as panquecas que a Aline fez ontem, com a minha ajuda e a da Maria Antônia, saíram com as cores do pavilhão usado pelos farrapos e adotado como bandeira do nosso Estado. A massa da verde tem espinafre. A da vermelha tem beterraba e corante alimentício.

Morango e branquinho com chocolate branco derretido pra rechear as panquecas. Aqui no RS, chamamos o "brigadeiro" de "negrinho". Isso seria, então, um "brigadeiro branco". Não poderíamos chamar de "branquinho" simplesmente, dado que este doce leva apenas o leite condensado (como se fosse um "beijinho", mas sem coco). Então, para não cedermos a outra cultura e chamarmos de "brigadeiro branco", mas também sem descaracterizar o nosso "branquinho", fica "branquinho com chocolate branco" mesmo.

E aqui, uma recheada com o doce mais consumido pelos gaúchos das três pátrias: "dulce de leche".

Rafael Vitola Brodbeck

Católico, casado e pai de quatro filhos. Delegado de Polícia em Piratini, Rio Grande do Sul, conferencista e escritor de vários livros jurídicos e teológicos. Gradou-se em Direito pela Universidade Católica de Pelotas em 2001, tendo concluído o curso superior de formação na Academia de Polícia Civil do RS em 2008. Diretor do Salvem a Liturgia. Membro do Movimento Regnum Christi, e articulista em vários veículos de imprensa no Brasil. Siga seu Instagram. Fale com ele por email.

Nenhum comentário:

[Domestica Ecclesia] © - Copyright 2013-2017

Todos os Direitos Reservados.
Citando-se a fonte, pode ser o conteúdo reproduzido.