Ensino de Geografia para a Maria Antônia, em 2013

O conteúdo de ensino de Geografia para a Maria Antônia neste ano de 2013, envolve poucos temas, já que ela tem apenas três anos. Todavia, é preciso, sim, começar a ensinar esses rudimentos de ensino social desde tenra idade.

Tratamos apenas, por agora, de:

- Família
- Faixa de pedestre, olhar para os lados ao atravessar
- Tipos de ambiente: campo e cidade

O ensino sobre a família é um complemento teórico para o que ela já vive na prática. E aqui a instrução deve andar de mãos dadas com a educação. Se a família educa e a escola (ou a família também) ensina (de modo único ou complementar), o tema justamente sobre a própria família deve estar presente na vivência e nas lições.

Aprende a pequena sobre o que é a família no relacionamento afetuoso com os pais e os irmãos, no incentivo à solidariedade fraterna, na obediência aos pais, no acatamento da disciplina quando erra, e na demonstração de amor em todos os atos cotidianos. Fazer atividades juntos com a mãe (brincar de ajudar a cuidar da casa, sujar as mãos na terra ao cuidar da nossa horta ou das floreiras da Aline, auxiliar na preparação de um bolo e no enfeite do lar), passear na praça comigo, ir às compras e à igreja conosco, tudo isso mostra o que é uma família. Visitar tios, primos e avós também. E, claro, conversar com ela, de modo muito informal, mas preciso e didático, sobre a função da família e o que cada um faz em nosso lar.

Atividades com desenho sempre ajudam na lição sobre os mais variados temas, e o da família não é diferente.

Abaixo, algumas sugestões, tiradas do site Ensinar-Aprender:












































Já o tema da faixa de pedestre é, por demais prático. Sem cair nos positivismos que vemos na Europa, na obsessão pelo trânsito regulado, multando até mesmo quem não atravessa na faixa, é bom ensinar os filhos a compreender que, onde há faixa de segurança, é melhor usá-la. E sempre com os pais dando-lhes as mãos, e olhando para os dois lados. Não há mistério. É repetição, é explicação de que os carros são velozes e podem não conseguir frear a tempo, e a que a criança precisa, desde cedo, procurar defender sua própria vida pelo cuidado e pela atenção.

Enfim, o tema do campo e da cidade como tipos de ambiente aqui em casa é muito fácil de ser abordado.

A Aline e eu temos uma criação agrária, e viemos de famílias com propriedades rurais. Eu mesmo fui criado na estância de gado e na granja de arroz do meu avô materno em Jaguarão, e parentes do meu pai mantém estâncias até hoje em São Francisco de Paula. Já a Aline descende de uma família com longa tradição de criação de ovelhas em Piratini, e a sua estância, Fazenda Santa Teresinha, ao lado da qual estamos erguendo a nossa, Estância Santo Elias, é um local de refúgio para todos nós. Uma temporada na fazenda é a alegria das nossas crianças. Conviver com vacas, cavalos, ovelhas, galinhas, patos, perus, ver plantações de milho, passear no campo, é muito algo natural para eles. Fazemos as crianças andar a cavalo, alimentar os animais, dar leite na mamadeira para algum cordeiro guaxo. Não queremos que nossos filhos só vejam vacas em zoológico ou se espantem com a visão de uma ovelha. Para eles é algo corriqueiro, e é bom que seja assim, ainda mais no Rio Grande do Sul, com uma longa tradição rural, que formou a nossa alma e a nossa história.



Algumas fotos sobre um dos nossos passeios à estância dos meus sogros podem ser vistas aqui: http://www.domesticaecclesia.com/2013/08/pretty-happy-funny-real_14.html

Extraímos algumas abaixo:




O ensino sobre as diferenças do campo e da cidade se faz na prática. Explicando, quando estamos em casa ou viajando para Montevideo, Chuy, Pelotas, Porto Alegre e Piratini, que são cidades, como elas funcionam, mostrando os carros, os ônibus, as lojas, os shopping centers, os free shops, os supermercados, as pessoas andando em multidão. E mostrando, quando na fazenda estamos, a calma que reina na zona rural, o que lá se faz, o que se produz. Não faltam oportunidades para, quando preparamos o leite do Bento, expliquemos para a Maria Antônia que ele é feito em uma indústria, que, por sua vez, compra o leite de uma fazenda, e ele é tirado das tetas das vacas, as mesmas vacas que temos lá no campo.

As crianças aqui aprendem também nos livros sobre os animais da fazenda e da cidade:



E também aprendem brincando, com a fazendinha que o Tio Lorenzo, irmão da Aline, trouxe de Israel:



O link seguinte apresenta um bom roteiro, que pode ser adaptado para o ensino de crianças de idade menor do que aquela proposta no mesmo: http://www.smartkids.com.br/especiais/zona-urbana-e-zona-rural.html Outro texto: http://www.smartkids.com.br/especiais/um-dia-na-fazenda.html

Rafael Vitola Brodbeck

Católico, casado e pai de quatro filhos. Delegado de Polícia em Piratini, Rio Grande do Sul, conferencista e escritor de vários livros jurídicos e teológicos. Gradou-se em Direito pela Universidade Católica de Pelotas em 2001, tendo concluído o curso superior de formação na Academia de Polícia Civil do RS em 2008. Diretor do Salvem a Liturgia. Membro do Movimento Regnum Christi, e articulista em vários veículos de imprensa no Brasil. Siga seu Instagram. Fale com ele por email.

Um comentário:

[Domestica Ecclesia] © - Copyright 2013-2017

Todos os Direitos Reservados.
Citando-se a fonte, pode ser o conteúdo reproduzido.