"O lar cristão é o lugar onde os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. É por isso que a casa de família se chama, com razão, «Igreja doméstica», comunidade de graça e de oração, escola de virtudes humanas e de caridade cristã."(Catecismo da Igreja Católica, 1666)

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Dia Nacional de Ação de Graças


Amanhã, última quinta-feira de novembro, celebramos, no Brasil, a exemplo dos Estados Unidos, o Dia Nacional de Ação de Graças.

Em nossa pátria, tal festividade civil foi colocada no calendário oficial pela  Lei 781, de 17 de agosto de 1949, pelo presidente Mal. Eurico Gaspar Dutra. Já em 1965, o Decreto 57.298 regulamentou a data, ordenando, por exemplo, que o presidente da República, ou o Ministro da Justiça, por sua delegação, faça um discurso na véspera, e que as unidades militares promovam cerimônias religiosas especiais em sua alusão.

A festa, em terras norte-americanas, costuma ser tradicionalmente associada ao banquete partilhado entre os peregrinos puritanos de Plymouth, Massachusetts, e os índios locais, em 1621. Seria, portanto, uma data sumamente protestante e, de fato, os irmãos separados a celebram com muito empenho, sendo uma referência tradicionalíssima na sociedade dos EUA, marcada pela cultura evangélica e sobretudo calvinista.

Mas podemos retroceder ao Te Deum mandado celebrar por Cristóvão Colombo na descoberta da América, às festas francesas no Canadá e, para ficarmos apenas no território atual dos EUA, a Pedro Menéndez de Avilés e seus 600 imigrantes espanhóis que foram até a Flórida e, devido à periculosidade de sua jornada, comemoraram um dia de ação de graças na recém-fundada cidade de Santo Agostino. En El Paso, Texas, outra celebração de Ação de Graças foi realizada, bem como Don Juan de Onate teria feito o mesmo no atual Novo México. E esses três dias de ação de graças espanhóis em terras hoje pertencentes aos Estados Unidos, foram celebradas antes da data tradicional dos puritanos de Plymouth. Veja em: http://www.huffingtonpost.com/2012/11/20/first-thanksgiving-dinner-pedro-mendez-de-aviles_n_2166971.html e http://www.texasalmanac.com/topics/history/timeline/first-thanksgiving. Igualmente aqui uma prova de que os dois primeiros Dias de Ação de Graças americanos foram celebrados por católicos e não por protestantes: http://www.traditioninaction.org/History/B_005_Onate_Thanksgiving.html


Aliás, Squanto, o índio responsável pelas conversações com os peregrinos puritanos, no "primeiro" dia de ação de graças, em 1621, tinha sido capturado, em 1614, por um tenente do Cap. John Smith (o mesmo da Pocachontas), e levado para ser escravo de espanhóis. Alguns frades franciscanos impediram sua escravização, e pregaram a ele a Palavra de Deus, sendo que Squanto, já na Europa, se converteu ao catolicismo e se batizou, voltando à América em 1619. Fluente em inglês, ajudou os peregrinos protestantes no contato com os indígenas da Nova Inglaterra e se fez presente no famoso banquete de Plymouth. Portanto, mesmo o tradicionalmente identificado como primeiro dia de ação de graças (que não foi o primeiro, mas o terceiro, já que os dois primeiros foram católicos), ainda que protestante, teve a participação fundamental de um católico!

Enfim, os puritanos eram ingleses calvinistas fugidos da Inglaterra, onde a Igreja Anglicana os perseguia. Lembremos que o anglicanismo também perseguia a Igreja Católica, e muitos católicos ingleses foram para o território das Treze Colônias. As mesmas injustiças sofridas pelos puritanos, que os levaram a dar graças a Deus pela paz encontrada na América, sofreram os católicos, pelo que o dia de ação de graças fala também à sua alma. Talvez por isso, os anglicanos, na época da colonização americana, não tenham dado tanta importância à data, e não a comemorassem (pois era uma festa de calvinistas e de católicos).



Portanto, o dia de ação de graças norte-americano funda suas mais ancestrais raízes em comemorações católicas.



No calendário litúrgico da Igreja Católica dos EUA, o dia tem até uma Missa própria.

No Brasil, não temos tanto o costume de observar esse dia, mas é algo interessante que o façamos, não para copiar os americanos, e sim para render graças a Deus. Também não temos um formulário próprio para o dia, porém, se for um dia liturgicamente livre, pode-se usar a Missa de Ação de Graças, um dos formulários para diversas circunstâncias que se encontram no Missal Romano.



Sugerimos algumas atividades para a família fazer amanhã em atenção ao Dia Nacional de Ação de Graças, como Igreja doméstica.

* analisar as pinturas acima que retratam o "primeiro dia de ação de graças" (tradicionalmente conhecido como tal, aquele celebrado entre os puritanos e os índios), e contar a história do que eles retratam;

* cantar ou rezar o Te Deum;

* promover um jantar especial em família (pode-se incluir receitas tradicionais norte-americanas, celebrando o "universalismo", em homenagem àquela nação que, com seus defeitos, ainda é uma das representantes da Civilização Ocidental), durante o qual se rezarão salmos de ação de graças;

* pedir para as crianças fazerem desenhos sobre o que desejamos agradecer neste ano que está terminando.

Nos links abaixo, sugestões de cardápio para amanhã.







Nenhum comentário: