"O lar cristão é o lugar onde os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. É por isso que a casa de família se chama, com razão, «Igreja doméstica», comunidade de graça e de oração, escola de virtudes humanas e de caridade cristã."(Catecismo da Igreja Católica, 1666)

domingo, 29 de dezembro de 2013

Uma Festa da Sagrada Família atípica...

Estamos unidos em amor e oração, mas separados pela distância, como explico abaixo. 

 Que triste a casa em silêncio sem ser mosteiro. Que tristes os dias sem uma bagunça para juntar, sem uma criança para lhe dar uma mijada por algo feio que fez ou pela demora em comer, sem um filho para brincar e correr pelo pátio. Que triste a ausência da minha esposa, Aline, me pedindo massagens nos pés. 

Até mesmo a ida ao supermercado, comprando carne só para mim e vendo os brinquedos do piso superior sem a Maria Antônia, o Bento e a Theresa querendo ir lá e não mais sair, se torna triste. 

E depois acham que a vida de um profissional do Direito, de um delegado de Polícia é barbada, pois ganhamos bem, temos a vida feita... Precisei vir até minha comarca para dar continuidade a investigações - que resultaram em uma importante prisão por tráfico de drogas ontem à tarde - e organizar as coisas na delegacia. 

Após passarmos todos juntos o Natal em Pelotas, deixei minha linda mulher e meus lindos filhos em Piratini, para passarem uns dias na estância, ao redor das ovelhas, vacas, galinhas e cavalos, para voltar ao labor em Santa Vitória do Palmar. 

Um homem honrado precisa fazer sacrifícios e os faz com prazer e senso do dever, o que não impede de serem o que são: sacrifícios. Saudoso estou, e, por isso, triste. Paradoxalmente, alegre pelo descanso que minha família tem nesses dias de férias para eles, e pelo sucesso das operações policiais que venho comandando, proporcionando segurança aos cidadãos que estão sob minha responsabilidade.

E no calendário moderno a Festa da Sagrada Família cai no Domingo posterior ao Natal, logo, hoje, em que estou solito, longe dos que amo. Uma festa da Família de Nazaré com a Família de Santa Vitória momentaneamente separada... Algo insólito e atípico.

Irei, contudo à Missa aqui em Santa Vitória do Palmar, e no Santo Sacrifício do Altar unir-me-ei à Aline, à Maria Antônia, ao Bento e à Theresa, que estarão diante do mesmo altar na igreja de Piratini.

E, claro, terá um churrasco, nem que seja só pra mim.

Rezemos a coleta da festa de hoje, que tem tudo a ver com os propósitos do nosso blog: 

Ó Deus de bondade, que nos destes a Sagrada Família como exemplo, concedei-nos imitar em nossos lares as suas virtudes para que, unidos pelos laços do amor, possamos chegar um dia às alegrias da vossa casa. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Nenhum comentário: