"O lar cristão é o lugar onde os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. É por isso que a casa de família se chama, com razão, «Igreja doméstica», comunidade de graça e de oração, escola de virtudes humanas e de caridade cristã."(Catecismo da Igreja Católica, 1666)

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Celebrando a festa da Apresentação do Senhor

No próximo dia 2 de fevereiro, celebraremos a festa da Apresentação do Senhor.

Embora não seja uma festividade de preceito, é importante que se vá à Missa nesse dia e que, se possível, levemos nossos filhos, explicando, antes ou depois da celebração, o motivo da data. Neste ano de 2014, a festa cai em um Domingo.
Uma boa idéia para iniciarmos nossos filhos no sentido da festa é fazer uma pequena procissão, pela casa, todos com velas nas mãos. Pode-se cantar, na ocasião, o Lumen ad Revelationem Gentium, ou outro canto gregoriano (ou mesmo um hino piedoso em vernáculo) adequado. O pai ou, em sua ausência, a mãe, explica o significado da festa, e algum dos filhos lê a passagem de Lc 2,22-39.

Ou, então, se querem algo mais solene, podem usar, para fins devocionais, a parte introdutória do Próprio da Missa desta festa em uma celebração familiar dirigida pelo pai:


Todos se reúnem em um oratório menor da casa, que não seja o principal, acendem-se as velas e executa-se um canto.

BÊNÇÃO DAS VELAS

O pai:


Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

R. Amém.

O pai, então, diz:

O Senhor esteja convosco.

R. E com teu espírito.

Depois, o pai introduz a celebração:

Irmãos e irmãs, quarenta dias se passaram desde a solenidade do Natal.

Hoje a Igreja está de novo em festa, para celebrar o dia em que Maria e José apresentaram Jesus ao Templo. Com aquele rito, o Senhor se sujeitava às prescrições da lei antiga e vinha ao encontro de seu povo, que o esperava na fé.

Guiados pelo Espírito Santo, foram ao Templo os santos anciãos Simeão e Ana; iluminados pelo mesmo Espírito, reconheceram o Senhor e, cheios de alegria, deram testemunho dele.

Também nós, reunidos aqui pelo Espírito Santo, vamos ao encontro de Cristo que encontraremos e reconheceremos no partir do pão, à espera de que ele venha e se manifeste na sua glória.


O pai pede que Deus abençoe as velas:

Oremos.

Ó Deus, fonte e princípio de toda luz,
que hoje revelaste ao santo velho Simeão
o Cristo, verdadeira luz de todas as gentes,
abençoa estas velas
e ouve as orações de teu povo
que vem ao teu encontro com estes sinais luminosos
e com hinos de louvor;
conduze-o pelo caminho do bem,
para que chegue à luz que não tem fim.
Por Cristo Nosso Senhor.

R. Amém.

Depois asperge-as com água benta.

 

PROCISSÃO

A procissão se fará até o oratório principal da casa, onde a família realiza suas orações. Durante a mesma se executa o canto:

Nunc dimítis servum tuum, Dómine, *
secúndum verbum tuum in pace,
quia vidérunt óculi mei *
salutáre tuum,
quod parásti *
ante fáciem ómnium populórum,
lumen ad revelatiónem géntium *
et glóriam plebis tuae Israel.
Glória Patri et Fílio *
et Spirítui Sancto.
Sicut erat in princípio, et nunc et semper, *
et in saécula saeculórum. Amen.

ORAÇÃO COLETA

Oremos.

Deus onipotente e eterno, vê os teus fiéis reunidos
na festa da Apresentação ao templo do teu único Filho feito homem,
e concede também a nós a graça de sermos apresentados a ti,
plenamente renovados no espírito.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus, e vive e reina convosco,
na unidade do Espírito Santo, por todos os séculos dos séculos.

R. Amém.

---


Podes pedir para os filhos decorarem candelabros para expor nas janelas, e que o pároco que abençoe todas as velas da casa.
Como vários outros momentos do ano litúrgico, esta festa pode ser aproveitada, na "liturgia familiar", também para exercitar a culinária. Como as velas são o grande símbolo que se faz presente na festa da Apresentação, pode-se assar bolinhos (cupcakes) ou biscoitos (cookies) e decorá-los com velas. Uma sugestão de criatividade é substituir as velas por aqueles rolinhos de waffer que se usa para decorar sorvetes: para fazer as vezes da chama, um pedacinho pequeno de laranja (ou um mini-marshmallow mergulhado em açúcar de confeiteiro cor de laranja), e, no lugar da cera que derrete espalhar merengue.
Outra curiosidade é a associação entre a devoção à Virgem dos Navegantes e a festa ora em comento. Por que, na festa litúrgica da Apresentação do Senhor, se cultua Nossa Senhora dos Navegantes?
Ora, porque no rito judaico da Apresentação, em que Nosso Senhor foi levado ao Templo por Nossa Senhora e São José, sua mãe trazia, como prescrito pela lei mosaica, velas. Como o verdadeiro cristão é mariano por excelência, associa sempre a uma festa cristológica um detalhe mariológico: daí que a invocação encontrada para honrar a Virgem Maria no dia da Apresentação do Senhor foi de Nossa Senhora das Candeias (sinônimo de velas, de candelabros).
Toda uma espiritualidade própria surgiu dessa invocação, como a Virgem Maria, com suas candeias, as mesmas que levou na Apresentação ao Templo de Jesus, seu filho, cuja festa amanhã comemoramos, a nos iluminar. Não tardou, pois, para os marinheiros, pescadores e demais navegantes, invocarem Nossa Senhora das Candeias para os iluminar nos mares escuros pelos quais passavam em seus barcos (e, espiritualmente, iluminar suas vidas para que não "navegassem" nas trevas do pecado). Por isso a associação entre a invocação "Nossa Senhora das Candeias" e "Nossa Senhora dos Navegantes".
Aliás, outras invocações para essa mesma dignidade da Virgem Maria são "Nossa Senhora da Purificação" (do Senhor, já que Purificação é o sentido do rito judaico da Apresentação, ainda que Cristo nem a Virgem devessem ser purificados, Ele por ser puro por sua própria natureza divina e também pela humana, e ela por ter sido isenta do pecado original, salva por antecipação e em previsão dos méritos de Cristo na Cruz), e "Nossa Senhora da Luz".

Nesse sentido, pode-se preparar algum prato com frutos do mar ou peixe, a fim de honrar a Mãe de Deus invocada especialmente para a proteção dos pescadores.


Sendo uma data para comemorar a Apresentação do Senhor e, por conseqüência, o rito da Purificação de Nossa Senhora – que estava apenas cumprindo a Lei mosaica, uma vez que já era, desde a concepção, toda pura –, nada melhor do que adotar o costume de, neste dia, nos confessarmos de nossos pecados, a fim de que nós também nos purifiquemos.

Um comentário:

Julio Neto disse...


Esse casal ( Rafael e Aline ) é um grande exemplo para o nosso país.

Em tempos de uma mídia infestada por canalhas, na qual a ultima novidade é o romance gay, encontrar sites desse nível é como caminhar por dias num deserto, chegar num Oasis e beber uma cerveja bem gelada...

Parabéns ao casal e a minoria dos brasileiros mais esclarecidos que, através da internet, compreendo, estão começando a mudar o nosso Brasil...

Fiquem com Deus,
Julio Neto

julionetocuritiba@gmail.com
www.casalemcristo.com ( em breve )