"O lar cristão é o lugar onde os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. É por isso que a casa de família se chama, com razão, «Igreja doméstica», comunidade de graça e de oração, escola de virtudes humanas e de caridade cristã."(Catecismo da Igreja Católica, 1666)

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Nosso retiro de Quaresma em família

Em nosso cotidiano familiar procuramos, uma vez por mês, fazer um retiro de meio dia. Nos últimos tempos, com mudanças de casa, aumento de carga no meu trabalho, mais crianças, acabamos um tanto relapsos com esse compromisso que assumimos. 

A Quaresma que inicia semana que vem nos parece uma ótima oportunidade de retomarmos essa importante ferramenta na vida espiritual. Se todos os dias temos, individualmente, a Aline e eu, nossas meditações pessoais de 15 a 20 minutos, o retiro mensal é uma ocasião de meditação mais intensa. 

Nos retiros mensais, que duram apenas meio dia, como falei, temos duas meditações, com perguntas práticas a se fazer pessoalmente em silêncio após cada uma, e a recitação do terço após. Ou, então, uma meditação, com as perguntas e o terço, e uma palestra. A meditação enfoca um tema espiritual, enquanto a palestra desenvolve um assunto apostólico ou doutrinário.

Na época em que morávamos em Pelotas, os retiros mensais eram feitos na sede do Regnum Christi, com todos os membros ou separados por ramo masculino e feminino. E agora, morando longe de uma sede, quando um padre legionário de Cristo nos visita, é ele quem prega o retiro, como na foto abaixo, no Itaqui, onde moramos de 2009 a 2010, e no mais das vezes, eu dirijo as meditações e eventualmente a Aline. Por vezes, convidamos amigos para participar.



Já tivemos retiros maiores, de vários dias, claro, na sede dos legionários em Porto Alegre, onde funcionava seu seminário.

Na ocasião de uma visita de padre legionário, após pregar o retiro, nos celebra a Missa.










































O retiro quaresmal, todavia, durará um pouco mais, pela sua excepcionalidade, e para mergulharmos mais profundamente nesse grande tempo litúrgico que a Igreja nos dá para a nossa conversão.

Usaremos os textos evangélicos da Quarta-feira de Cinzas para uma breve alocução de introdução ao clima do retiro e cinco meditações baseadas nas perícopes também do Evangelho de cada Domingo da Quaresma para esse ano "A". Entre as meditações e no fim do retiro, o terço e a recitação das Vésperas, como atos de piedade para marcar mais claramente nossa disposição à oração, clamar a ajuda de Nossa Senhora no percurso da fé, e nos unir a toda a Igreja pelo Ofício Divino.

Se os amigos quiserem, podem usar esse esquema para seus próprios retiros familiares.

Como a nossa mais velha vai fazer recém quatro anos agora em março, as crianças não aproveitarão as meditações, mas em momento oportuno lhes vamos fazer um resumo conforme suas idades. Podem, entretanto, se juntar a nós no terço e nas Vésperas.

Canto do Veni Creator
Introdução ao retiro (cf. Mt 6,1-6.16-18)

1ª meditação: A tentação de Jesus (cf. Mt 4,1-11)

2ª meditação: A Transfiguração de Jesus (cf. Mt 17,1-9)

Terço

3ª meditação: A samaritana (cf. Jo 4,5-42)

4ª meditação: O cego de nascença (cf. Jo 9,1-41)

5ª meditação: A ressurreição de Lázaro (cf. Jo 11,1-45)

Vésperas

Nenhum comentário: