"O lar cristão é o lugar onde os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. É por isso que a casa de família se chama, com razão, «Igreja doméstica», comunidade de graça e de oração, escola de virtudes humanas e de caridade cristã."(Catecismo da Igreja Católica, 1666)

quinta-feira, 13 de março de 2014

{pretty, happy, funny, real}


~ Capturando o contexto de contentamento da vida cotidiana. ~

{pretty}










{happy}










{funny} 

Homeschooling também se faz em meio às brincadeiras. Conteúdo passado em lições é importante, mas não se trata de simplesmente transportar o colégio para o lar. Aqui, o Bento e a Maria Antônia aprendendo sobre arte na construção, estética, jogando o dominó das princesas Disney para exercitar o raciocínio lógico e formando palavras com os blocos de letras. Orientação da mamãe Aline Brodbeck e do papai Rafael.

Bento brincando de delegado na Delegacia de Polícia do Chuí.

Maria Antônia instigou a Mônica ao suicídio hehehe



{real}

Uma pizza a metro uruguaia.

Bavette ao molho pesto.

Rocambole de dulce de leche Conaprole.



Rocambole de geléia de ameixa.



Tortei com molho de frango.


Aline preparando materiais de apostolado.


Passeando...





Visite Like Mother, Like Daughter, para mais fotos de contentamento.  

4 comentários:

Laise Araujo Sales Pinheiro disse...

Olá!
Acompanho com muito gosto o blog de vcs e admiramos demais a iniciativa de vcs aqui em casa. Ao ver a Aline com a blusa desse grupo AC/DC, fiquei instigada. Há pouco meu marido me falava da relação entre o rock e o satânico. Confesso que me parece uma generalização arriscada, mas, ao pesquisar rapidamente pela internet, vi várias declarações do Papa Emérito Bento XVI que parecem confirmar esse posicionamento. Em outro post, vc comenta que escutam rock clássico, bom jazz e blues. Aqui em casa tb gostamos desses gêneros musicais, a exceção do rock clássico (eu gosto, mas meu marido nem tanto). Entenda que tenho todo o respeito e consideração por vcs ao vir questionar isso, como um modo de provocar um diálogo construtivo (estamos de mesmo lado), mas li em um blog (satanista, diga-se) a seguinte afirmação: "Poucos grupos talvez estejam tão afinados com a proposta do satanismo moderno quanto AC/DC. Ao contrário de monstros sagrados como Black Sabbath e Led Zepellin, celebres por seu interesse nas artes ocultas, os escrachados integrande desta banda nunca se interessaram por misticismo. Nunca foram ocultistas, mas sim céticos e ateus que souberam usar o simbolismo da estética satânica e da figura do capeta para falar sobre liberdade, hedonismo e rebeldia". Fiquei chocada e queria saber o que vc poderia me dizer a respeito da (in)adequação de usarmos blusas de bandas que têm esse perfil.
Agradeço sua compreensão com relação ao meu questionamento e parabenizo, mais uma vez, pelo blog.
Abraços

Rafael Vitola Brodbeck disse...

Laise, obrigado pela confiança.

Não é porque um blog diz que AC/DC é satanista que nós vamos acreditar, né? A nós, interessa a música apenas. Ademais, os próprios membros da banda dizem que não há satanismo em suas vidas nem nada disso. Eles brincam com a estética macabra, da mesma forma que os irlandeses católicos faziam, como modo de debochar da ineficácia do mal.

Um abraço,

Laise Araujo Sales Pinheiro disse...

É verdade, Rafael, as informações do mundo virtual estão longe de ser fontes confiáveis para nossos juízos, mas já que iniciamos o diálogo a respeito desse assunto, assim que vc tiver um tempinho, gostaria que vc se estendesse um pouco mais sobre a questão do flerte do rock com a estética macabra, o vínculo histórico e ideológico com a revolução sexual e cultural, a ruptura com valores morais tradicionais, os ataques constantes à religião cristã e, quanto ao ritmo, os efeitos físicos e psicológicos que, comumente, induzem à euforia e a sensualismo. Esses questionamentos são sinceros e não uma provocação à toa. Busco o diálogo porque me preocupo seriamente com a educação dos meus filhos e sei que a educação musical é fundamental.
Reitero minha estima sincera pela família linda de Vocês e pela iniciativa do blog, que atrai, principalmente, porque, sem deixar a ortodoxia de lado, mostra um cotidiano familiar normal, com pessoas felizes, alegres e humana e espiritualmente saudáveis.
Recebam nosso carinho daqui de Belém.

Rafael Vitola Brodbeck disse...

Laise, obrigado pelas palavras. Eu sei que são questionamentos sinceros. Não te preocupa.

Talvez este post possa te ajudar a ver a neutralidade jocosa daquilo que chamas "flerte" com coisas "macabras": http://domesticaecclesia.blogspot.com.br/2013/10/costumes-e-receitas-de-halloween.html

Em tempo, se fôssemos levar tudo a ponta de faca, nem Mozart poderíamos ouvir, dado que compôs obras magníficas com temática maçônica e específicas para a liturgia de lojas da Maçonaria.

Um abraço,