Como vivemos a Semana Santa e a Oitava Pascal

Olá a todos! O blog está meio parado porque estamos ajeitando umas coisas na mudança de cidade. Peço a compreensão dos amigos.

Algumas fotos de como foi a nossa Semana Santa e os primeiros dias do Tempo Pascal.

Neste ano, estabelecemos que ninguém teria chocolate, em solidariedade à Maria Antônia, que está com seu fígado inchado em função da mononucleose - que lhe rendeu até uma internação no hospital.

Pintamos, todos juntos, pois, ovos com outros tipos de guloseimas dentro. Foi muito divertido e durante a brincadeira expliquei o sentido da Páscoa.


 

No Tríduo, fomos às celebrações na igreja: Santa Missa de Quinta-feira Santa da Ceia do Senhor, Solene Ação Litúrgica de Sexta-feira Santa da Paixão do Senhor, e Solene Vigília Pascal na Noite Santa. Na sexta, tivemos o tradicional almoço completo - dado que é dia de jejum, devendo comer apenas uma refeição e, se necessários, mais uma ou duas pequenas beliscadas que juntas não formem uma completa. E sem carne, pois, além de jejum, é dia de abstinência.

As imagens estavam cobertas, tradição que se faz no catolicismo começando no V Domingo da Quaresma. Na sexta, após a Ação Litúrgica da Paixão, removemos o véu da cruz, permanecendo só as outras imagens cobertas.





















































Claro que o Domingo de Páscoa teve que contar com um churrasco especial e tradicionalmente assado em fogo de chão, com a bênção solene da mesa pascal, recordando em família a Ressurreição do Senhor.

Sobre a mesa do almoço, um ícone de Cristo Ressuscitado, que meu marido ganhou da Igreja Ortodoxa da Albânia.











E meu presente de Páscoa, que ganhei do marido: um conjunto para chimarrão bem feminino!



No Sábado na Oitava Pascal, fui passear só com as meninas, Maria Antônia e Theresa.



Enfim, chegou o II Domingo da Páscoa, também chamado de Domingo da Divina Misericórdia. Nesse dia foi canonizado São João Paulo II, que, além de Papa, era um propagador de tal devoção. Até porque era polonês, como Santa Faustina, a religiosa que recebeu a revelação de Jesus sobre essa devoção tão importante, derivada daquela mais antiga do Sagrado Coração.

Fizemos um churrasco, como em todos os Domingos. E como era o Domingo da Misericórdia que brota do Coração de Jesus, nada melhor do que assar coração de cordeiro. Jesus é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, e é do Seu Coração que nos vem a misericórdia divina!

De sobremesa um flan em forminhas de coração, dentro de uma grande forma também de coração, representando os nossos corações dentro do Coração de Cristo!

Depois do almoço, rolou até uma pequena procissão das crianças com o Crucifixo e a estampa da Divina Misericórdia.


 








Aline Rocha Taddei Brodbeck

Católica, casada e mãe de quatro filhos. Advogada, professora, blogueira de moda por quase dez anos no Femina, conferencista e palestrante em temas de formação da feminilidade, moda, modéstia e elegância. Com seu marido, Rafael, é autora do livro “Família católica, Igreja doméstica”. Gradou-se em Direito pela Universidade Federal de Pelotas em 2006. Membro do Movimento Regnum Christi, onde ajuda a formar moças e senhoras. Mora em Piratini, Rio Grande do Sul. Siga seu Instagram. Fale com ela por email.

Um comentário:

Talita Ezequiel disse...

Família maravilhosa.
Louvado seja o Senhor por essa união.

[Domestica Ecclesia] © - Copyright 2013-2017

Todos os Direitos Reservados.
Citando-se a fonte, pode ser o conteúdo reproduzido.