"O lar cristão é o lugar onde os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. É por isso que a casa de família se chama, com razão, «Igreja doméstica», comunidade de graça e de oração, escola de virtudes humanas e de caridade cristã."(Catecismo da Igreja Católica, 1666)

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Cinco coisas que aprendi como mãe cristã






































1. A TV não deve ficar no mesmo cômodo em que as crianças estejam brincando. Se for inevitável, deve permanecer desligada durante as brincadeiras, ao menos na maior parte do tempo (exceto, claro, se os adultos estiverem vendo um programa realmente importante, que não seja inadequado às crianças e for impossível brincar em outro quarto).





























2. As crianças devem ser ensinadas a amar livros e respeitá-los. O passeio com elas no shopping deve incluir uma livraria, não só lojas de brinquedos ou típicas de adultos. Devemos levá-los a elas, folhear os livros, deixar que manuseiem. Ainda que não compremos nada na ocasião, ao menos que elas escolham seus preferidos e desejem para uma data futura.























3. As orações que as crianças devem fazer, com palavras espontâneas ou fórmulas, precisam ser adequadas à sua faixa etária. Crianças pequenas, orações pequenas. Isso não impede que elas, desde tenra idade, decorem as principais orações, ainda que não compreendam todas as palavras.






































4. Cristo e Nossa Senhora devem estar presentes no cotidiano de forma natural. Mediante conversas, imagens de escultura ou em estampas e ícones (inclusive no quarto das crianças), comemorações de festas da Igreja que retratem mistérios cristológicos e marianos e celebrem os santos etc.


5. Quando te falta algo, como mãe, seja uma virtude, um auxílio, reza e pede para Nossa Senhora. Claro que a Deus, mas sempre, sempre, mediante a Virgem, e isso explicitamente. Ela é a Mãe de todas as mães. É Mãe de nossos filhos - e por isso zela por eles. E é nossa Mãe também - e por isso nos ajuda em nossa maternidade. Ela que acompanhou a Cristo até Sua morte na Cruz e depois na Ressurreição, e se encontrou com Ele no céu, sabe bem o que é criar e sofrer com um filho. Ela é Auxilium christianorumConsolatrix afflictorum. Recomendemo-nos a ela sempre.


2 comentários:

Anônimo disse...

Muito bonito Aline tudo que você tem aprendido como mãe. Obrigada por também nos ensinar.
Eu como mãe de 3 meninos pequenos, sinto-me tantas vezes desorientada, perdida e me sentindo incapaz. Tem dias que parece nada dar certo com meus filhos.
Mas é preciso recomeçar sempre contando com a graça de Deus.
Que Deus a abençoe sempre mais e mais.
Cristiane.

Aline Rocha Taddei Brodbeck disse...

É isso mesmo, Cristiane. A sensação é essa que damos mais passos para trás do que para frente. Mas, para nossa sorte, Cristo é maior. E ele nos ensina a lutar sempre, com as armas q Ele nos deu. Força e fé. Em Cristo. Aline.