"O lar cristão é o lugar onde os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. É por isso que a casa de família se chama, com razão, «Igreja doméstica», comunidade de graça e de oração, escola de virtudes humanas e de caridade cristã."(Catecismo da Igreja Católica, 1666)

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Idéias para um jantar em família no Dia de Ação de Graças



Embora não seja um costume muito presente nos lares brasileiros, o Dia Nacional de Ação de Graças, importado dos Estados Unidos, é uma data oficial do calendário nacional estabelecida em lei federal.

Em nossa pátria, tal festividade civil foi colocada no calendário oficial pela Lei 781, de 17 de agosto de 1949, pelo presidente Mal. Eurico Gaspar Dutra, estabelecendo que seja celebrada na quarta quinta-feira de novembro, exatamente como fazem os americanos. Já em 1965, o Decreto 57.298 regulamentou a data, ordenando, por exemplo, que o presidente da República, ou o Ministro da Justiça, por sua delegação, faça um discurso na véspera, e que as unidades militares promovam cerimônias religiosas especiais em sua alusão. Pelo que me recordo, isso não tem sido respeitado, talvez em nome de uma mal entendida compreensão do que significa o princípio do Estado laico em nossa Constituição.

De qualquer modo, é uma data em que, sobretudo nós os cristãos, temos o que celebrar. Sempre é dia de agradecer a Deus pelas bênçãos concedidas. E ter um dia em que as famílias, instituições, organizações, igrejas, e todo o tipo de associações, se reúnem para render esse agradecimento de modo oficial e público, é, também, em si, uma bênção.

Não é questão de macaquear os Estados Unidos, mas de se deixar influenciar positivamente por outras culturas. O "Papai Noel", por exemplo, não é carioca nem gaúcho. O "Coelhinho da Páscoa" não é nordestino que passa as férias em Santa Catarina. E mesmo assim recebemos esses dados culturais estrangeiros e os incorporamos de modo bastante natural em nossa cultura. Até o Halloween irlandês, britânico e sobretudo americano, tão americano quanto o Dia de Ação de Graças ("Thanksgiving Day"), foi recebido na prática cultural brasileiro. Não há motivo, portanto, para rechaçar a Ação de Graças e todas as suas tradições como se fossem imposição imperialista.

Neste post aqui de 2013, eu conto um pouco da história do Dia de Ação de Graças e de como ele tem, sim, origens também católicas e não só protestantes/puritanas. E aqui eu conto como o celebramos ainda em 2013, e aqui a Aline fala sobre a nossa festa em 2014.




















Vamos nos preparar para celebrarmos bem o Dia de Ação de Graças 2016 em família? Eis algumas dicas:

1. Programação 

É preciso que nos organizemos com antecedência. Não queremos um jantar comum, mas algo especial. Em muitas famílias americanas, como é feriado, o normal é ter um belíssimo jantar com tanta celebração, solenidade e alegria quanto a Ceia de Natal. Talvez não precisemos chegar a esse requinte, até porque o costume não é tão arraigado em nossa cultura. Devemos, todavia, tentar dar o melhor para Deus em forma de gratidão - que é o espírito desse dia - até nessas pequenas coisas.

Convida teus familiares, se eles estiverem dispostos a render graças a Deus e manter um clima espiritual cristão. Do contrário, faz só com a tua família nuclear e com os que moram na tua casa.

Na programação, já deves prever o cardápio (falaremos disso em outro ponto, abaixo), uma bonita decoração, o horário dos preparativos mais próximos e do próprio jantar, escolher uma roupa mais elegante, e até mesmo uma espécie de "liturgia" a ser rezada antes da comida. 

2. A melhor louça e os melhores talheres

Tens uma prataria que só usas em dias especiais? No Natal, em um jantar chique, na recepção de convidados importantes? Usa-a no jantar de ação de graças. Escolhe também a melhor louça, os melhores pratos. Se não tens talheres de prata, dá o teu melhor. Não é questão de ostentação ou de riqueza: dentro das tuas condições sociais e financeiras, deves fazer o melhor. 

Algo a observar com cuidado: pratos e talheres dispostos ao modo tradicional sobre a mesa.


3. Cardápio e bebidas

Os pratos característicos do Dia de Ação de Graças americano nem sempre são fáceis de encontrar ou preparar. Sugestões temos aos montes no Google. Basta procurar.

 

Aqui vou sugerir o que tem funcionado para nós e que tanto respeita a tradição americana quanto é fácil de encontrar e preparar no Brasil (ou ao menos aqui no Sul):

  • Farofa
  • Purê de batatas
  • Peru (ou frango) recheado e assado
  • Torta de abóbora com chantilly
  • Molho de geléia (morango ou mirtilo ou framboesa funciona muito bem)
  • Sopa de moranga (mogango ou abóbora)
  • Batata doce caramelada
  • Milho cozido

Para acompanhar, vinho branco ou espumante. Se for vinho branco, é bem típico da data que seja um frisante, ideal para essa época de calor no Brasil. Particularmente, aqui gostamos bastante do frisante italiano branco do tipo Lambrusco, tipicamente produzido na região da Emilia Romagna. Há várias marcas de Lambrusco, e o que mais nos apetece aqui é o Cavicchioli. Também costumamos tomar os espumantes do tipo Asti, italiano típico do Piemonte. Igualmente há várias marcas, e gostamos muito da Zonin. Enfim, um vinho branco que naturalmente se torna adocicado pela colheita tardia, especialmente este Late Harvest (Cosecha Tardia) da chilena Concha y Toro, é excelente como sobremesa. São vinhos acessíveis, e podem ser encontrados no Brasil facilmente.


4. Decoração

Já falamos nos talheres e nas louças. Mas a mesa também precisa ser bonita, com a tua melhor toalha. Tens guardanapos de pano? Usa! Não tens? Paciência, dá o teu melhor e sê grato a Deus pelo pouco que tens. 

Podes te empenhar para, mesmo com pouco dinheiro e com o material que tens em casa, fazer uma decoração de Ação de Graças para a mesa e para a sala de jantar. No Pinterest, achas bastante coisa nesse sentido.

 

Algumas idéias: um pote de Thanksgiving (de vidro, decorado com motivos/dizeres alusivos à data), onde as pessoas colocarão papéis com os motivos pelas quais elas agradecem a Deus e depois podem ser lidos; velas, flores e pinhas, como no Natal, em forma de arranjo, sobre a mesa; usar porta-guardanapos para os guardanapos de tecido (de preferência bem decorados e bonitos); velas sobre pequenas abóboras; aromatizador de ambiente na sala e no lavabo próximo; um belo capacho na frente de casa; uma tabuleta com um trecho bíblico sobre a gratidão a Deus.


Aliás, quem sabe imprimes vários cardápios dizendo o que terá de comida e coloca sobre o prato de cada um?

 

5. Ação de Graças e demais aspectos religiosos e seculares

Podem cantar alguns hinos de ação de graças, rezar o Te Deum em latim, recitar um salmo que fale da gratidão a Deus, tudo antes do jantar. Se houver Missa e disponibilidade de assisti-la, vá a ela com a sua família, igualmente antes do jantar. Já sentados à mesa, o chefe da família pode conduzir a oração pedindo que cada um agradeça a Deus com suas palavras, em voz alta, por coisas bem concretas e específicas, e ele, o chefe, fará a oração final de bênção da comida.

Após jantarem, podem cantar algo religioso ou mesmo secular que os divirta e demonstre que estão gratos por se reunirem em família. Para quem gosta de futebol americano, a NFL sempre transmite três jogos especiais da temporada durante o dia.




Como falado, escolhe a melhor a roupa. Os homens podem usar traje com gravata, se podem. Não é necessário passeio completo e muito menos black tie (ou rigor), exceto se for um banquete realmente fino com pessoas ilustres e a ocasião demandar algo do tipo. Basta um traje passeio (também conhecido nos últimos tempos por esporte fino), de preferência com gravata. As mulheres usem algo equivalente também (a Aline saberia indicar melhor; falem com ela ou pesquisem bastante no Femina, o seu blog de moda, elegância, modéstia e feminilidade).

E não esqueça: nosso curso sobre catequese de crianças está com matrículas abertas até 30 de novembro de 2016.

Um comentário:

Milena Machado disse...

Acho linda sua família, quero que a minha seja assim também quando eu tiver. Hoje moro com a minha mãe e meu padrasto e eles não são religiosos.
Um abraço, adoro o blog!